O GUIA FORA DE PORTAS

DA REGIÃO DE SETÚBAL


Jazz à Vista...

15 Out a 05 Dez 2020
ExposiçõesSeixal
Jazz a vista 1 447 298
Exposição de pintura de XicoFran.

Inaugurada no dia 15 de outubro, quinta-feira, às 19 horas, precedida por
um momento musical interpretado por Pedro Simões.


De 15 de outubro a 5 de dezembro

Horário

De terça a sexta-feira, das 10 às 20.30 horas.
Sábado, das 14.30 às 20.30 horas.

No seguimento da declaração do Estado de Emergência pelo Governo, a
Galeria de Exposições Augusto Cabrita encontra-se encerrada nos dias 14,
15, 21 e 22 de novembro de 2020.


Catálogo da exposição – PDF [1,46 MB]

 

XICOFRAN – O PINTOR DO JAZZ

O melhor de dois mundos fundem-se num só universo: o «jazz – som da
surpresa» e a pintura de XicoFran. A magia acontece e desperta a intuição
e as emoções de quem “ouvê”.

O ritmo é pulsante e fascinante, os movimentos são largos e cheios de
energia e intensidade. É então que a «tela» acontece e desperta um
turbilhão de sensações e sentimentos. Estamos perante a exatidão do
improviso e acordamos para outros mundos numa incrível viagem interior. Eis
o espanto. O assombro. A admiração.

A obra de XicoFran é uma grande orquestra de cor, onde o ritmo frenético e
inquieto brilha ao mesmo tempo que sentimos o intimismo sincopado dos grandes
intérpretes e em que pressentimos a paixão pelas coisas mais simples do
quotidiano que nos suscita uma profunda curiosidade.

O pintor envolve as «tintas» com os acordes, incorpora a técnica com a
emoção e atinge a sintonia. Então, a música e a pintura completam-se e
valorizam-se.

A forma brilhante como representa o movimento, sugerido pela silhueta de um
músico, passando para a tela o arrastamento dos gestos e a vibração dos
instrumentos são a sua marca de água.

Contudo, o «radical intuitivo» que está à vista na pintura é o
resultado de muito e intenso trabalho e constante exercício do risco, do
traço e das dinâmicas gráficas, cujo desfecho mais expressivo é a
representação figurativa, ao mesmo tempo impressiva e expressiva, rica de
cor, em que o ser e o estar recriam uma visão imaginária muito própria da
atmosfera ambiental e do sentido poético, suado e humano do jazz.

Deste modo, um quadro poderá considerar-se como um escrito instintivo e, ao
mesmo tempo, dramático – pela forma e conteúdo – através de algo que
nele denuncie a misteriosa individualidade explosiva do autor.

Assim, o jazz – essa gigante tela humanista e modernista que começou a
desenhar-se no início do século passado – vai-se reinventando e
perpetuando de geração em geração como se fosse (e é!) uma janela aberta
que, da consciência mais esclarecida do presente, fita um passado que
importa recordar em benefício de uma humanidade futura mais fraterna,
solidária e consciente.


Câmara Municipal do Seixal
Outubro de 2020
 

 

Condições de acesso à galeria


Obrigatoriedade do uso de máscara à entrada e dentro do equipamento

Obrigatoriedade da higienização das mãos antes de entrar no equipamento

Lotação máxima, em simultâneo, de 10 pessoas

Tempo máximo de permanência no espaço de 15 minutos

Circuito da visita à exposição - da esquerda para a direita, de acordo
também com organização da exposição patente
Equipamento:
Galeria de Exposições Augusto Cabrita

AMRS © 2019 | Todos os direitos reservados

Desenvolvido por: SPD   wiremaze