O GUIA FORA DE PORTAS

DA REGIÃO DE SETÚBAL


A Alegre História da Música em 62 Minutos

23 a 30 Jan 2022
InfantilSeixalTeatro
Alegre historia musica 60mi 1 447 298
Espetáculo pela Companhia do Teatro Bocage (Lisboa).


Classificação etária: M/ 6 anos.
Duração: 62 minutos.


* As reservas de bilhetes devem ser efetuadas de segunda a sexta-feira, das
10 às 13 e das 15 às 18 horas.

 

Organização
Animateatro Companhia de Teatro.

 

Sinopse

«A Alegre História da Música em 62 Minutos» é uma divertida adaptação
para teatro do livro «História da Música em Banda Desenhada da
Pré-história à Atualidade», da editora Moraes.

Na peça, três personagens, amigos de palco, contam com a ajuda de um
narrador para desvendarem e contarem aos espetadores a evolução dessa
manifestação artística-social-cultural que é a música. Expressão essa
que acompanha a humanidade desde os primórdios na pré-história, onde o
homem primitivo imitava os sons da natureza, criando os primeiros
instrumentos musicais, adaptando e transformando ossos, madeiras, conchas e
diversos materiais rústicos, nos primeiros instrumentos de que há registos,
até os desenvolvidos instrumentos e génios musicais que transpassam o tempo
numa progressiva vertiginosa até chegar aos dias atuais, com o
desenvolvimento dos instrumentos elétricos, de samplers e a música
eletrónica.

O espetáculo diz-nos que a música se desenvolveu junto com o próprio
desenvolvimento do ser humano. É impossível separar um do outro, assim como
a necessidade da representação artística em todos os aspetos da vida
social na evolução das sociedades. A  música esteve, está e estará
sempre presente, como manifestação genuína de um povo, de sua localidade
geográfica e de sua época.

A peça traça-nos de modo breve, claro e divertido a evolução das formas
musicais no Ocidente através de uma cronologia dos seus principais criadores
- história que se confunde com a própria história do Homem.

 

Ficha técnica e artística

Texto e encenação: Mauro Toledo | Elenco: Pedro Gomes; Pedro Vicente;
Rita Cássia | Direção e composição musical: João Oliveira | Cenografia,
figurinos e adereços: Isadora Binotti | Produção: C.ª do Teatro Bocage.
 

 

Regras de utilização do Cinema S. Vicente de acordo com as normas da
Direção-Geral da Saúde


É necessária a apresentação do Certificado Digital COVID da UE, ou um
comprovativo de vacinação que ateste o esquema vacinal completo ou de
realização laboratorial de teste com resultado negativo, nos termos das
alíneas a), b) e c) do n.º 2 do art.º 13.º do Anexo à Resolução do
Conselho de Ministros n.º 157/2021, de 27 de novembro, alterada pela
Resolução do Conselho de Ministros n.º 181-A/2021, de 23 de dezembro, e
pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 2-A/2022, de 7 de janeiro;

É obrigatório o distanciamento físico de 2 metros no acesso ao
auditório e às bilheteiras (a lotação da bilheteira é de 1 pessoa);

É obrigatório o uso de máscara no auditório e a higienização das
mãos à entrada e à saída do mesmo;

A abertura de portas será feita 1 hora antes do espetáculo;

Recomenda-se a chegada antecipada para evitar maior ajuntamento de
pessoas; 

Os espetáculos têm início à hora marcada;

Não existem lugares previamente marcados;

A entrada no auditório e a indicação dos lugares serão acompanhadas por
assistentes de sala. Os espetadores devem cumprir rigorosamente todas as
instruções dos assistentes de sala e não poderão trocar de lugar ou
deslocar-se sem motivo justificado;

Durante o espetáculo o público deve permanecer no seu lugar. No final,
deverá aguardar a indicação dos assistentes para se levantar e sair do
auditório;

Não será permitida a permanência de espetadores no interior do
auditório após o final dos espetáculos;

Nas instalações sanitárias apenas serão permitidas duas pessoas em
simultâneo.
Equipamento:
Cinema S. Vicente

AMRS © 2019 | Todos os direitos reservados

Desenvolvido por: SPD   wiremaze